28 de março de 2014

Apsaras

۞ ADM Sleipnir


As Apsaras (também conhecidas como Vidhyadaris) são um grupo de belos e etéreos espíritos femininos das mitologia hindu e budista. Elas são deusas menores da água e das nuvens, e que habitam o céu. Na clássica literatura indiana, as apsaras são retratadas frequentemente dançando sedutoramente nos tribunais dos deuses ou casadas com ganharvas - espíritos da natureza que tocam músicas celestiais para os deuses. Ambos os grupos de entidades estão particularmente relacionados com a corte de Indra, o deus dos céus e tempestade, e também o rei dos deuses (embora esse título seja menos absoluto no hinduísmo do que em outras cosmologias).

Apsaras pode ser reconhecidas por suas cinturas minúsculas e seus atributos femininos evidentes. Normalmente, elas são retratadas dançando graciosamente, vestidas (ou parcialmente vestidas) com saias de seda linda e enfeitadas com jóias de ouro e pedras preciosas. Muitas vezes, elas dão cambalhotas nos céus ou brincam na água . Além disso apsaras tendem a ser coroadas com lindos cocares ornamentados.


Em muitos mitos, as apsaras aparecem como personagens coadjuvantes. Dentre elas, Urvasi Menaka Rambha Tilottama são os mais famosas.   Elas são mais ou menos análogas às ninfas e náiades da mitologia grega, as valquírias da mitologia nórdica e aos anjos dos mitos abraâmicos.

Indra se sentia constantemente ameaçado por sábios e heróis que acumulavam grandes poderes espirituais e mágicos através da austeridade física. Uma de suas maneiras favoritas de lidar com eles era enviar apsaras para seduzi-los e fazer com que caíssem de sua posição, e é por isso que muitos heróis dos mitos indianos tem uma apsara sexy como uma mãe e um eremita louco como um pai. Além de serem dançarinas magistrais, apsaras podem alterar sua forma à vontade. Elas também governam sobre as vicissitudes dos jogos de azar.

Esculturas de apsaras são um componente principal nos templos indianos clássicos e as suas formas belíssimas e ondulantes continuam a ser um dos pilares da arte indiana. Essas dançarinas celestiais também são particularmente apreciadas no Sudeste Asiático. A arte clássica e arquitetura da Indonésia, Camboja, e Laos freqüentemente apresentam esses adoráveis ​​espíritos. 


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

Um comentário:

  1. Nos anos escuros das Apsaras, heróis e magos ameaçaram seu reinado. Mas Indra teve requinte a beça para buscar orientações ao mais poderoso dos feiticeiros no ano de 312 A,C. Evidências patenteam que tal feiticeiro era o terror dos deuses. Ele morava em tendas feitas das penas dos Abutres, voava quando necessário passeando pela terra. Ele é curiosamente questionado que por causa de seus passeios no globo terrestre, pode ser o diabo "Lucifer"Indra teve sua orientação com ele, claro... depois que fizeram 48 horas seguidamente de sexo, de todo quanto é jeito. Então ela voltou grávida, e depois de 6 meses, concebeu "Salãn- Inferol" ele é o prematudo das trevas, foi ele quem matou Áquiles usando seu Espírito mal, ele também devastou reinos e heróis em grande escala. Salãn- Inferol é conhecido como trevas profundas, e ele que prossegue as Apsaras em Espírito, tanto em magias, como em obras escuras.

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos ou ofensas gratuitas;
-Comentários racistas e/ou xenófobos;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Desrespeitar o autor da postagem ou outro visitante;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Removeremos quaisquer comentários que se enquadrem nessas condições.

De preferência, evite fazer comentários anônimos. Faça login com uma conta do Google, assim poderemos responder seus comentários de forma mais apropriada, e você poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby