16 de abril de 2013

Cú Chulainn

۞ ADM Berserker


Cú Chulainn foi um dos maiores heróis da mitologia Irlandesa, era um guerreiro a serviço de Conchobhar, rei de Ulster, ficou muito conhecido por sua defesa solitária de Ulster. É dito que Cú Chulainn teria vivido no ano 1 A.C e contos sobre ele e outros heróis teriam sido escritos a partir do ano 700 D.C.

As aventuras de Cú Chulainn foram gravadas numa série de contos conhecido como “Ciclo do Ulster”.

Início da vida

Assim como muitos heróis irlandeses, Cú Chulainn teve uma vida curta, aventureira e trágica. Ele era o filho de Dechtire, irmã do rei Conchobhar. Ela e algumas das suas damas foram sequestradas na sua noite de núpcias por Lugh, deus do sol, que apareceu para ela como uma mosca. Dechtire engoliu a mosca e depois deu à luz um filho cujo nome original era Setanta. Desde o nascimento, a criança possuía poderes extraordinários. Ele podia nadar como um peixe e possuía sete pupilas em cada olho, sete dedos em cada mão e em cada pé.

Com 6 anos de idade, ele disputou no campo de jogos de Emain Macha contra 150 rapazes ao mesmo tempo, deixando o rei Conchobhar admirado com suas habilidades. Então seu tio o convidou para acompanha-lo junto dos 50 maiores campeões do reino em uma festa na casa do ferreiro Cullan. Chegando ao local, Setanta foi atacado e matou em alto-defesa, o monstruoso cão de guarda do ferreiro, logo em seguida se ofereceu para proteger propriedade de Cullan até outro cão poder ser treinado. Foi nessa época que ele mudou seu nome para Cú Chulainn, que significa "Cão de Cullan".


Ele cresceu tornando-se um homem bonito com boa fala e sedutor, cuja fama era muito conhecida entre as mulheres.

Provas e realizações

Quando Cú Chulainn tornou-se adulto o suficiente para começar seu treinamento, o jovem se apaixonou por Emer, a filha de Monach Fogall Chietain. Quando ele começou a cortejá-la, ela lhe disse que não se casaria com um homem que não tivesse realizado um feito heroico.

Cú Chulainn então decide ir treinar com uma mulher guerreira chamada Scathach. Scathach  vivia em Skatha (Skye). Muitos heróis procuravam-na para passarem por seu treinamento, mas poucos passavam nos testes.

Cú Chulainn teve de atravessar a "Planície da má sorte" e evitar as criaturas de "Glen Perigoso", antes de chegar a "Ponte do Salto". Lá, Cú Chulainn encontrou seu amigo Ferdiad MacDamann. No meio da garganta, havia uma plataforma móvel que se deslocava para cima e para baixo. Um guerreiro tinha que pular para esta plataforma antes que ele possa saltar novamente para a segurança do outro lado do desfiladeiro, no entanto, geralmente o guerreiro era jogado de volta onde começou, ou caia na água (abaixo), que estava infestada de monstros marinhos. Nem Ferdiad nem os outros guerreiros que estavam com eles chegaram ao outro lado do desfiladeiro.  Após descansar por um tempo, Cú Chulainn decidiu dar o salto. Três vezes ele saltou para a plataforma do meio, e cada vez que ele saltava era jogado de volta. O quarto salto  foi enorme, e Cú Chulainn conseguiu passar a Ponte do Salto.

Depois de ter conseguido passar em todos os testes perigosos, Scathach concordou em ensinar Cú Chulainn sua arte marcial. Após passar um ano com ela, Cú Chulainn aprendeu novas habilidades de luta e guerra. Ele quis ficar com a mulher guerreira, até ela decidir ensinar-lhe a última habilidade, o segredo de Gae Bulg.

Gae Bulg era uma lança incrivelmente letal que lhe foi dada ao fim de seu treinamento. Ela foi feita a partir do osso de um monstro marinho, o Coinchenn, que morreu enquanto lutava contra outro monstro do mar, o Curruid. A técnica da lança mortal consistia em atira-la pelos dedos do pé. Sendo capais de curvar o ar e mudar sua própria direção, assim que arremessada ela era inevitavelmente letal. Quando perfurava seu alvo, a lança penetrava em quase todas as partes do corpo do oponente, pois se abria em dezenas de farpas, o estrago era tanto que a única forma de recupera-la depois era, portanto o cadáver em pedaços. Cú Chulainn dominou a técnica do Gae Bulg.


Antes de ser liberado por Scathach, irrompeu a guerra entre Scathach e outra mulher-guerreira chamada Aife. Mesmo Scathach estava receosa de enfrentar Aife, que era a guerreira mais forte e mais  temível na Grã-Bretanha. Embora Scathach não quisesse que Cú Chulainn entrasse em batalha com ela, ele veio ajuda-la de qualquer maneira. Cú Chulainn desafiou Aife para um combate mortal. Antes de o duelo começar, o jovem herói aprendeu com Scathach, que as coisas que Aife tinha mais apreço eram a sua carruagem e seus cavalos. Durante a luta Aife conseguiu desarmar Cú Chulainn de todas as suas armas, mas antes de Aife matar o herói desarmado, ele exclamou que seus cavalos haviam caído. Aife ficou momentaneamente distraída e Cú Chulainn pulou em cima dela, desarmando-a e ameaçando mata-la, ele concordou em poupá-la, se Aife concordasse e em não atacar sua mentora novamente. Aife concordou.

Cú Chulainn permaneceu um bom tempo por lá, onde ele e Aife se tornaram amantes. Quando ela engravidou, ele deu-lhe um anel para que Aife desse ao seu filho. Cú Chulainn disse-lhe para enviar seu filho para ele quando esse tivesse idade suficiente para usar o anel. Cú Chulainn colocou um sortilégio sobre o filho chamado Connla que estava para nascer. O sortilégio foi de que ele nunca revelasse o seu nome e de nunca negar combate ou desafio. Anos mais tarde, este sortilégio traria consequências trágicas sobre Connla.

Durante suas aventuras em seu caminho de regresso para casa, Cú Chulainn salvou uma princesa e visitou o Submundo. Ele voltou à Irlanda e sozinho desafiou e lutou contra os filhos de Nechtan. Em uma fúria incontrolável, todos os filhos de Nechtan foram mortos, ele decepou todas as cabeças que mantinha como troféus. Ainda sofrendo com a fúria de batalha, ele capturou vários animais vivos, amarrando-os em seu carro antes de retornar a Emain Macha. Conchobar percebeu que muitas pessoas ainda morreriam, pois Cú Chulainn ainda estava furioso. O rei ordenou que todas as mulheres bonitas fossem colocadas nuas do lado de fora dos portões, para atender Cú Chulainn fora da cidade. Mesmo tomado pela fúria insana, Cú Chulainn envergonhou-se ao ver tantas mulheres nuas e isso serviu para distrai-lo. Enquanto ele estava distraído, os guerreiros de Emain Macha o agarraram e jogaram-no em um tanque de água fria. A água ferveu no tanque antes deste explodir, ele teve de ser afundado em água fria várias vezes, até que a raiva se aplacasse e ele recuperasse a compostura.


Já em casa, Cú Chulainn conseguiu sua maior vitória. Quando a rainha de Connacht, Medb, enviou um grande exército para roubar o Touro Castanho de Ulster (touro esse ganho por Cú Chulainn numa competição em Connacht sendo ele aclamado como herói), Cú Chulain os deteve sozinho, pois ele era imune à maldição  que enfraquecia todos os demais guerreiros. Diz a Lenda que o pai humano de Cú Chulainn (Sualtach Sídech ou Sualtaim) tinha o mesmo dom de imunidade a essa maldição que fora lançada por Macha, a deusa guerreira. Fala-se também que em batalhas difíceis como essa, o deus Lugh, também pai de Cú Chulainn, ajudava-o e por vezes substituía-o em combate por até três dias.

Depois da realização de feitos heroicos, Cú Chulainn começou a cortejar Emer novamente. Monach Fogall ainda não queria o herói como seu genro. Ele trancou totalmente sua residência e espalhou guardas, mas Cú Chulainn pulou o muro alto, derrotou os guerreiros e “raptou” Emer (ela não foi contra sua própria vontade). Realizando todos os feitos exigidos por Emer, ele retorna para Emain Macha, onde se casa com ela.

Cú Chulainn conseguiu muitas vitórias no Ulster, mas também algumas vitórias tristes. Travou um combate corpo a corpo com um jovem e poderoso oponente, sendo forçado a mata-lo para não ser morto por ele, somente depois descobrindo de forma chocante que se tratava de seu filho Connla. Durante outra dura batalha, ele foi forçado a lutar contra seu amigo Fer DIAD que estava enfeitiçado com promessas de amor de Medb e provavelmente sob o controle de Macha. Ao matar o amigo, Cú Chulainn cai de joelhos e rega o corpo do amigo com lagrimas. Em ambas as batalhas, Cú Chulainn foi forçado ao seu extremo e ficando sem mais recursos, ele acabou usando o golpe secreto de Gae Bulg para estraçalhar seus adversários.

Envolvimento com Morrigan

As mais antigas narrativas de Morrigan estão nas histórias do "Ciclo do Ulster", onde ela tem uma relação ambígua com o herói Cú Chulainn. No “Táin Bó Regamna”, ele a desafia, sem compreender o quê ela é, quando ela guia uma novilha por seu território, tornando-se seu inimigo a partir de então. Ela profere uma série de ameaças, predizendo finalmente uma batalha próxima onde ele será morto. Ela diz, enigmaticamente: "Eu vigio sua morte". No “Táin Bó Cuailnge” a Rainha Medb de Connacht comanda uma invasão ao Ulster para roubar o touro Donn Cuailnge. Morrigan surge ao touro na forma de um corvo, e o previne para fugir. Cú Chulainn defende o Ulster, travando no córrego de um rio uma série de combates contra os campeões de Medb. Entre os combates, Morrigan lhe surge, com aparência de uma bela moça, oferecendo-lhe seu amor e auxílio na batalha, mas ele a rejeita. Como vingança ela interfere no seu próximo combate, primeiro assumindo a forma de uma enguia, fazendo-o tropeçar, depois, com a forma de um lobo, provocando um estouro da boiada, e finalmente como uma novilha que conduz o rebanho em fuga - tal como o havia ameaçado em seu primeiro encontro. Cú Chulainn é ferido por cada uma das formas que ela assume apesar disto, consegue derrotar seus oponentes. Ao final ela reaparece a ele como uma velha que lhe trata os ferimentos causados por suas formas animais, enquanto ordenha uma vaca. Ela oferece a Cú Chulainn três copos de leite. Ele a abençoa por cada um deles, e suas feridas são curadas.

Morte

Depois de tantos conflitos com Morrigan, ele foi convocado para lutar em um momento em que estava doente. No caminho para a batalha, ele teve uma visão de Morrigan na forma de uma mulher idosa lavando o corpo e armas de um guerreiro morto e ele reconheceu o guerreiro como sendo a si mesmo. Sabendo, então, que sua própria morte era iminente, ele lutou bravamente sem hesitar. Depois de mortalmente ferido e fraco demais para ficar de pé, Cú Chulain se amarrou a um pilar de pedra com suas próprias entranhas para que ele pudesse morrer lutando e em pé. Só depois que um corvo (provavelmente Morrigan) pousou em seu ombro seus inimigos tiveram certeza da morte dele, pois ate então, ele estava atacando e matando tudo o que se aproximava dele. Cú Chulain Morreu aos 27 anos de idade.

Agradecemos sua visita e se gostou da leitura, deixe seu comentário! Compartilhe também nossos posts nas redes sociais!

6 comentários:

  1. Gostei do blog esta de parabéns.

    ResponderExcluir
  2. caramba..muito bom, merecia um filme esse heroi

    ResponderExcluir
  3. Curti mesmo. Seria bom se lendas assim fossem mais divulgadas. Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  4. Lembro desse cara e da scathach no jogo persona do ps2

    ResponderExcluir
  5. maluco, fez tudo isso com 27 anos de idade puta merda

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby