16 de setembro de 2012

Lamashtu

۞ ADM Sleipnir




Lamashtu (conhecida como Dimme na mitologia suméria) era na mitologia mesopotâmica um demônio ou deusa malévola, filha do rei dos deuses Anu e sua consorte Ninhunrsag, que segundo as lendas ameaçava as mulheres durante o parto e, se possível, sequestrava seus filhos enquanto eles eram amamentados, para se alimentar de sua carne e seu sangue. 

Ela é geralmente descrita como um híbrido mitológico, com um corpo peludo, uma cabeça de leoa com dentes de burro e orelhas, dedos longos e unhas, e os pés de um pássaro com garras afiadas. Ela é freqüentemente representada em pé ou ajoelhada sobre um jumento, cuidando de um porco e um cão, e segurando cobras. Ela carrega, portanto, algumas funções e semelhanças com outro demônio mesopotâmico, Lilith.


Mitologia 

Ao contrário dos outros deuses, ela não tinha o amor no coração e gostava de ver o sofrimento de seus súditos, principalmente ver mães perdendo seus filhos, com abortos e outras coisas malévolas. Seu terror e ódio eram infinitos, e por isso Anu teve que expulsa-la do paraíso, lhe amaldiçoando a vagar no mundo, onde seria odiava por todos e esquecida.


Conta-se que enquanto ela vagava pelo mundo dos homens, ela ia matando crianças recém nascida nas noites mais escuras, sugando todo o sangue delas e arrancando seus ossos, para roer durante o dia enquanto se escondia da luz do sol que queimava seus olhos e pele. E mesmo sem alguém Lamashtu deu a luz a sete filhos, pequenos vampiros, que também se criaram bebendo sangue dos mais novos humanos e aterrorizando a todos, iniciando assim um clã de sanguinários vampiros matadores de recém-nascidos. Fala-se que a noite Lamashtu perturbava o sono e os sonhos das pessoas, por onde passava plantas morriam e córregos secavam, quando chegava perto os músculos dos homens perdiam a força e as mulheres gravidas pariam antes da hora. Doenças e pragas chegavam junto com ela, mas não iam embora quando a vampira partia.

Vendo que não podia mais defender as crianças, Anu criou o primeiro caçador de vampiros do mundo, levando a Terra Pazuzu, o deus da fome e da seca, que recebeu o poder para lutar contra Lamashtu e seus descentes, impedindo o assassinato dos pequenos.

Infelizmente, como a religião suméria foi sendo esquecida pela vinda das novas religiões, muito da história de Lamashtu se perdeu. Não se sabe o que aconteceu com ela, se ainda vaga por esse mundo ou quem sabe mesmo acabou sendo derrotada por seu poderoso inimigo Pazuzu, que desceu do paraíso para enfrentá-la. Mas caso Lamashtu ainda vague por essa Terra, mesmo que com menos poder, ela ainda deve sempre atacar a noite fazendo mães perderem seus filhos e homem perderem sua força…


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

2 comentários:

  1. Um demônio contra outro demônio...

    ResponderExcluir
  2. Bom dia. Gostaria de saber qual a relação dela com Eva e se vc tem algum material sobre todas as irmã de Eva. Desde ja eu agradeço!

    ResponderExcluir



Seu comentário é importante e muito bem vindo. Só pedimos que evitem:

-Xingamentos / Ofensas;
-Incitar o ódio e o preconceito;
-Spam;
-Publicar referências e links de pornografia;
-Comentários que nada tenham a ver com a postagem.

Reservamo-nos ao direito de remover qualquer comentário nessas condições.

De preferência, faça login com uma conta do Google, assim poderá entrar no ranking dos top comentaristas do blog.



Ruby